Pop-up store: o que é e como funciona essa tendência

pop-up store

Sim: pop-up store é a nova tendência no mercado varejista.

O termo pode ser novo para muita gente, mas as pop-up stores (ou “lojas temporárias”)  já invadiram a capital paulista, segundo reportagem da Veja SP publicada em junho deste ano (2017). E, ao contrário de algumas novidades que chegam atrasadas ao país, essas lojas ainda estão em alta no mercado internacional, sendo que especialistas canadenses chegam a apostar que 2018 será marcado como o ano delas.

Funciona assim: os varejistas abrem uma loja que tem dia e hora para deixar de existir. É um endereço sazonal, que irá durar poucos dias ou meses, onde as marcas e lojistas engajam um grupo de clientes de determinada região promovendo ações, testando novos produtos ou queimando estoque parado.

Há ainda aqueles que focam nessas lojas como forma de levantar receita rapidamente, já que podem optar pelo aluguel ao invés da compra de equipamentos, o que diminui bastante os custos operacionais.

O hype provocado com a abertura de uma nova pop-up store pode acabar gerando um alto tráfego de clientes. Somado a isso, há ainda uma percepção de urgência pelo consumidor, que se ele não aproveitar logo a oportunidade de visitar a loja e conhecer suas ofertas, esperar pode ser tarde demais. Isso acaba criando uma receita favorável para o sucesso do lojista.

Outro diferencial é que essas lojas investem muito em Visual Merchandising e experiência para o cliente, o que acaba aumentando o engajamento desse consumidor e relação que ele te com a marca.

O interessante é que as lojas pop-up podem funcionar para diferentes perfis de negócio e público. Mesmo que grandes varejistas como Louis Vuitton, Ikea, Toyota, The Body Shop, Häagen-Dazs, Nike, Heineken, Adidas, Farm e Givenchy já tenham investido nessa estratégia, o modelo também já tem sido testado, com sucesso, por lojas menores e pouco conhecidas.

 

Principais características da pop-up store:

 

Tempo de existência

Geralmente funcionam pelo tempo de 1 dia a 3 meses. Algumas, no entanto, podem ficar abertas por um ano.

 

Localização da loja

Grandes cidades e capitais, shoppings e áreas de alto tráfego, incluindo a proximidade de áreas de eventos, shows e festivais.

 

Investimento

Menor que o de uma loja tradicional já que os equipamentos e local podem ser alugados por um curto período.

 

Você já investiu em uma loja nesse formato? Como foi sua experiência?

 

Leia também:

O que você precisa saber sobre a internet das coisas no varejo

Criando uma experiência do consumidor incrível!

Por que personalizar a experiência de compra no varejo?

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *