6 táticas para escolher os produtos para vender em sua loja

produtos para vender

Escolher produtos para vender em sua loja demanda uma análise geral sobre seu negócio, necessidades dos clientes e comportamento do mercado.

Um bom sortimento precisa ser diversificado, mas muito bem planejado para que os itens tenham saída e, que juntos, formem uma composição rentável para seu negócio.

Para isso, ao montar o sortimento de seus produtos sempre considere os seguintes fatores:

 

1) Itens com alta demanda

Se alguns produtos estão muito comentados pelo público, existe um bom investimento publicitário para eles e uma alta procura, de maneira geral, é estratégico que eles façam parte de seu sortimento. A existência de uma demanda real pelo produto aumenta as chances de sucesso de seu negócio.

 

2) Boa margem de lucro

É muito importante manter uma composição de produtos que contenha alguns itens que gerem uma boa margem de lucro para o negócio. Ainda que a venda destes itens seja mais segmentada e tenham menor saída, eles são fundamentais para manter a receita do negócio em dia e compensar todos os seus custos com a operação.

 

3) Produtos “chamariz”

Apesar de olhar a margem de lucro, algumas vezes será importante manter produtos que gerem baixa ou nenhuma margem de lucro no seu sortimento. Neste caso, os itens precisam ser aqueles que apesar de, individualmente, serem pouco rentáveis, tenham um poder de atrair clientes para a loja ou mercado e ajudem a impulsionar a venda de outros produtos na cesta de compras.

 

4) Sortimento da concorrência

Outra percepção importante para compor seu sortimento é de quais produtos são ou não vendidos por seus concorrentes. Se você faz uma análise usando inteligência para varejo, por exemplo, será capaz de identificar quando não houver retorno nas pesquisas de itens que você monitora em seus concorrentes, o que pode indicar que eles estão sem estoque para eles.  Com isso, será possível decidir se manter vendendo o produto, canalizando a demanda para sua loja ou também pará-lo de vender, se ele for pouco relevante.

 

5) Marcas com boa aderência

Também é muito relevante considerar as marcas com as quais irá trabalhar. É preciso haver uma afinidade entre elas e seu público-alvo, claro, sendo que classes mais altas estão dispostas a pagar margens maiores por marcas mais renomadas e itens importados. Isso não significa que classes sociais mais baixas irão se satisfazer apenas com marcas pouco conhecidas. A composição do sortimento deve ser diferenciada conforme as expectativas do consumidor que pretende atingir.

 

6) Produtos de qualidade

O consumidor, independentemente da classe social, busca por produtos de qualidade dentro da realidade que pode pagar. Por isso, é importante que mesmo variando o sortimento e marcas que irá trabalhar, todas elas sejam de boa procedência, dentro dos padrões regulatórios nacionais de higiene e identificação dos produtos. Além disso, se houver muitas queixas sobre algum item que você venda, não deixe de ouvir seu cliente e revisar a lista de itens que você oferece.

 

7) Diversidade

Por fim, seu sortimento precisa ser planejado para manter uma grande diversidade de produtos dentro das categorias trabalhadas. Dificilmente o consumidor irá entrar e/ou permanecer em uma loja que seja muito limitada, onde ele tenha poucas opções de escolha e não consiga comparar as vantagens e desvantagens de cada produto e marca que estão nas prateleiras. Não importa o segmento do varejo que você atue: a variação é essencial!

 

Leia também:

Calendário promocional do varejo: fique atento às principais datas

9 sinais para identificar que você está precificando produtos da forma errada

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *